Vídeo de apresentação dos resultados do Projeto Piloto de Compostagem de Mogi Mirim

Realizamos o Projeto Piloto de Compostagem na cidade de Mogi Mirim, onde trabalhamos desde a INAMBI com nossos parceiros coordenando o projeto com a intenção de desenvolver um modelo referencial de gerenciamento de resíduos orgânicos para as 5500 cidades do Brasil, como uma experiência brasileira para brasileiros.

Resultados do Projeto Piloto de Compostagem Mogi Mirim

O projeto teve início em 2013, com o propósito de desenvolver um modelo referencial na gestão de resíduos sólidos urbanos orgânicos para as mais de 5500 prefeituras do Brasil, que até agosto de 2014 tem que se adequar a Política Nacional de Resíduos Sólidos, Lei 12.305/2010.

Resoluções definem critérios para compostagem e para pesca do robalo

paranaUma resolução, aprovada pelo Conselho Estadual do Meio Ambiente (Cema), estabelece critérios para compostagem de lixo em empresas e órgãos públicos. A norma, que passa a valer a partir desta semana, for estabelecidas por um grupo de trabalho, criado pela Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos, com entidades ligadas a essa área.

A resolução sobre empreendimentos de compostagem de resíduos sólidos urbanos e de grandes geradores no Paraná será a primeira legislação sobre o tema no Paraná, em conformidade com a Lei Nacional de Resíduos Sólidos 12.304/2010.

Por que o programa de compostagem de Nova York será exitoso?

Este artigo é continuação de artigo “Nova York adota a compostagem para tratar seus resíduos” (ver mais clicando aqui).

Composting_5_2010Planejamento para descartar os resíduos da minha cozinha? Os restos de meus alimentos podem ter um impacto ambiental a nível global? Sim é a resposta para essas perguntas.

A uns dias publiquei uma matéria comentando sobre o programa de compostagem que o Prefeito de Nova York, Bloomberg, anunciou.

Com o lançamento do programa de compostagem de resíduos orgânicos urbanos do prefeito Bloomberg, inicialmente voluntário nos cinco distritos de Nova York, os moradores da cidade vão ser capazes de transformar os seus restos de comida em adubo.

O composto, formado em parte de matéria orgânica e outros nutrientes, é utilizado para fertilizar diferentes tipos de solos. Desta forma, o adubo fertiliza e nutre as plantas para produzir melhores resultados e preservar os ecossistemas.

Massachusetts proíbe a geração de resíduos de alimentos

O secretario do Gabinete de Energia e Meio Ambiente (EEA) do Massachusetts, Rick Sullivan, no dia 10 de julho anunciou a já esperada proibição de eliminar o destino para aterros dos resíduos de alimentos comerciais juntamente com o financiamento para apoiar a valorização destes resíduos. Segundo Sullivan esta medida contribui para alcançar metas de eliminar o uso de aterros sanitários e seus impactos no meio ambiente, aumentando o compromisso de valorização de resíduos, geração de emprego e redução das emissões de gases de efeito estufa. A medida entra em vigor no 1° de Julho de 2014, e exige que qualquer estabelecimento que tenha uma geração de pelo menos uma tonelada de resíduo orgânico de alimentos por semana seja enviando para uma unidade de valorização de resíduos como por exemplo geração de biogás, usina de compostagem ou para elaboração de ração animal. O desperdício de alimentos residenciais não está incluído na proibição atualmente. Para explorar a valorização de resíduos orgânicos o governo disponibilizou empréstimos $3 milhões de dólares a juros baixos disponíveis para empresas privadas para a implantação de projetos.

%d blogueiros gostam disto: