Como devolver a água para a terra…?

Este video de forma didática e simples explica o vinculo entre as árvores, o clima e a água. O homem que plantava árvores ( “L’homme qui plantait des arbres”, de 1987), vencedor do Oscar de Melhor Animação de 1988. Baseado em um conto do romancista francês Jean Giono, de 1953, e dirigido por Fréderic Back, o desenho conta a história de Elzéard Bouffier, um pastor de ovelhas silencioso e persistente. Vale a pena assistir e divulgar, para entender o principio de solução que deveremos enfrentar para uma gestão sustentável da água no Brasil… e claro do clima.

Compostagem em apartamentos?

Práticas sustentáveis não são privativas unicamente de industrias ou grandes organizações. Elas podem ser realizadas por cidadãos comuns em todos os aspectos de sua vida. Na matéria “Reciclagem: moda ou inteligencia”,  se explica como enviar resíduos orgânicos para aterros é uma forma desnecessária, insustentável e cara de lidar com o lixo. Atualmente existem alternativas para valorização dos resíduos orgânicos residenciais para casas, apartamentos, condomínios entre outros.

Para tratar o resíduo orgânico gerado na minha cozinha desenvolvi uma compostadeira simples (ver foto), instalada na sacada do meu apartamento em um terceiro andas, onde transformado em adubo aproveitamos nos vasos que temos ali mesmo ou doamos para amigos. Todo este processo não gera odores nem permite a proliferação de insetos, como baratas ou moscas, o que faz do processo totalmente limpo e agradável para toda a família. O sistema é simples e até meu filho de 7 anos contribui com a manutenção do mesmo. A compostadeira tem uma câmera para coletar os líquidos do processo, que também é usado como fertilizantes para as plantas. Desta forma evitamos enviar resíduos orgânicos para o aterro, aumentando a capacidade de coleta dos caminhões, a vida útil dos aterros e contribuímos com a diminuição de gases de efeito estufa pela geração de metano (causado pela putrefacção dos resíduos no aterros). Outro ganho importante de ter reciclado na minha sacada os resíduos orgânicos é a melhor qualidade dos recicláveis que posteriormente os catadores coletam no condomínio.

Desta forma tem muitas alternativas e iniciativas de compostagem para resíduos orgânicos residenciais, assim como valorização de outros pelo mundo estão mostrando novas formas de compostar que são mais rápidas e mais eficientes.

Portanto é hora de mergulhar de cabeça nessa ideia e poder participar com pequenas ações sustentáveis e assim apoiar essa forma mais eficaz de descartar os resíduos que produzimos diariamente em nossas atividades, tornando nossas vidas mais harmônicas e responsáveis com a natureza.

Marcos Alejandro Badra

Se quiser maiores informações sobre esta compostadeira para residencias ou para programas de educação ambiental em escolas ou outras organizações, entre em contato no meu email ou pelo meu celular (019-8199 0362).

Pratique a sustentabilidade e seja pago por isso

A empresa alemã Charger’s desenvolveu um carregador solar portátil que, através da utilização do sistema, o usuário recebe créditos para trocar em lojas conveniadas.

Os kits Chargers Starter custam US$149, e vem com uma bateria e um painel solar capazes de gerar até 4 watts de energia por hora – o suficiente para carregar a bateria do kit em quatro horas, ou um iPhone duas vezes.

O aparelho é eficiente e se comunica em tempo real com a rede social criada pela Chargers, publicando o extrato de quantidade de energia elétrica que você gerou com sol, e a quantidade de carbono que você evitou que fosse emitida na atmosfera.

Os créditos para trocar por produtos são gerados automaticamente, e o usuário poderá trocá-los no Changers Marketplace.

Fonte: Jornal O Debate

Canadá deve abandonar Protocolo de Kioto, ‘esse assunto é passado e foi um grande erro’

O Canadá deve anunciar sua retirada do Protocolo de Kioto depois do fim da Conferência do Clima de Durban, na África do Sul, informou a rede canadense CTV News. A notícia caiu como uma bomba no encontro, onde representantes de quase 200 países tentam chegar a um novo acordo que limite as emissões de gases-estufa. Embora tenha se recusado a confirmar a informação, o ministro do Meio Ambiente do Canadá, o conservador Peter Kent, disse a repórteres na capital do país que o protocolo, ratificado em 1997 e em vigor até o fim do ano que vem, “é passado” e sua aceitação foi um dos maiores erros do governo liberal que o antecedeu.

– Não confirmo nem nego (a informação) – disse Kent. – Hoje não é o dia nem este é o momento de fazer um anúncio.

Para Kent, não há razão para assinar um novo acordo ou estender o de Kioto sem a participação de outros países que são grandes emissores e ficaram de fora de suas metas, como China e Índia, ou que nem chegaram a participar, como os EUA. Segundo ele, também não faz sentido se submeter a metas que não se pretende cumprir. Pelo Protocolo de Kioto, o Canadá se comprometia a reduzir, até 2012, suas emissões de gases-estufa em 12% sobre os níveis de 1990. Em 2009, o país emitiu 690 milhões de toneladas de dióxido de carbono equivalente, 17% acima dos níveis de 1990, em grande parte devido ao aumento da extração de petróleo das areias oleosas da região de Alberta.

– Se há urgência em lidar com as mudanças climáticas, então esta não é a hora dos maiores emissores do mundo ficarem de fora – defendeu Kent, que ainda vai seguir para Durban para participar das negociações.
O deputado Peter Julian, da oposição canadense, afirmou que com a eventual retirada do país das metas de Kioto, a presença de Kent no encontro na África do Sul se torna uma “charada”.

– Ele vai para lá para obstruir, impedir o progresso, desestabilizar as discussões e agir como um vândalo ambiental – acusou.

Hannah McKinnon, da Climate Action Network Canada, também criticou a viagem do ministro nestas circunstâncias:

– Os países vão se perguntar por que o Canadá está sentando na mesa de negociações sobre Kioto com um plano secreto de abandonar formalmente o protocolo poucas semanas depois do fim das discussões. Esse movimento é um tapa na cara da comunidade internacional e uma vergonha para o Canadá.

Fonte: O Globo

%d blogueiros gostam disto: