O alto valor do lixo orgânico!

Compost-7 Compostagem, muitas vezes descrita como um modo natural de reciclagem realizada por uma comunidade de microrganismos (incluindo bactérias, fungos e actinomicetos, na presença de oxigênio), é o processo biológico de decomposição da matéria orgânica de nossos resíduos em um extremamente útil húmus.

Os actinomicetos são micro-organismos semelhantes aos fungos na sua forma de crescimento, mas se diferenciam na sua eficácia para a biodegradação da matéria orgânica. A natureza ativa destes microrganismos (microscópicas) e o grande número nas leiras de compostagem (cerca de 10 milhões deles por grama de solo), torná-los altamente eficaz em transformar resíduos ricos em celulose, hemicelulose, ligninas, etc. (como casca de árvore, papel e outros materiais orgânicos duro).

BASF realiza, mais uma vez, evento lixo zero e transforma resíduo orgânico em adubo valioso

organicsA BASF, o buffet Lia Tulmann, a Inambi Inteligencia Ambiental e o Grupo Visafértil firmam parceria para coletar e transformar todo o resíduo do evento
 Copos revestidos e sacos de lixo feitos com ecovio® possibilitam a transformação de resíduo sem a separação

O ecovio®, plástico compostável certificado da BASF, é o protagonista do projeto envolvendo copos descartáveis e biodegradáveis e sacos de lixo compostáveis que acontecerá durante o evento de apresentação da primeira casa de eficiência energética da BASF no Brasil, a CasaE localizada na zona sul de São Paulo.

Durante o evento, a empresa Lia Tulmann, encarregada do serviço de buffet do evento, orientada pela Inambi, coletará todo o resíduo orgânico utilizado na preparação dos alimentos em sacos de lixo confeccionados com ecovio®, plástico compostável certificado da BASF, com conteúdo renovável

Nova York adota a compostagem para tratar seus resíduos

Inspirado no modelo positivo implantado em Seattle, San Francisco e Portland, o prefeito de Nova York, Michael Bloomberg, anunciou recentemente planos para introduzir de forma voluntaria a compostagem para tratar os resíduos orgânicos da cidade, com o alvo de torná-la obrigatória em um par de anos.

Todos os anos, os americanos jogam fora um 40% dos alimentos que compram e quase todos os desperdício de alimentos (96%) acaba em aterros ou incineradores. De acordo com a Agência de Proteção Ambiental, os restos de alimentos são o resíduo mais destinado para os aterros do que qualquer outro único material, onde eles apodrecem e se tornam uma fonte significativa de metano, um gás de efeito estufa, que contribui para a mudança climática.

lombard-street-san-francisco

San Francisco começou a realizar compostagem de resíduos de alimentos e jardins desde 1996 e se tornou obrigatório em 2009. Através dos esforços em reciclagem e compostagem, a cidade alcançou um ritmo impressionante, desvio do aterro um 80% dos resíduos antes destinados, contra um 34% da media nacional e um 15% da media de Nova York. Para incentivar ainda mais a reciclagem e compostagem da San Francisco está introduzindo uma nova estrutura tarifária que vai permitir que os residentes paguem menos pela taxa de coleita mensal de resíduos, onde poderão optar em diminuir o “lixo” e aumentar a separação dos recicláveis e compostáveis respectivamente.

Esta tendencia também está crescendo no Brasil, aumentando as indicações de prefeituras e estados para implantar a compostagem como alternativa economicamente viável e ambientalmente correta para tratar seus resíduos orgânicos. Conforme Nota Técnica divulgada pelo Ministério Público do Estado do Paraná, foi dito que: “Devido a Política Estadual e Nacional de Resíduos Sólidos, respectivamente Lei 12.493/1999 e Lei 12.305/2010, bem como a necessidade de alternativas técnicas de baixo custo para o tratamento de resíduos sólidos urbanos nos municípios do Estado do Paraná, verifica-se que a compostagem apresenta-se como uma alternativa viável técnica, social, ambiental e economicamente”.( Veja a Nota Técnica ).

images (7)

Os resíduos sólidos orgânicos representam em media um 50% do total de resíduos gerados em todo o território do Brasil conforme informações publicadas no Panorama 2012 pela ABRELPE e na Publicação da AIDIS sobre Resíduos Sólidos Urbanos na América Latina. A compostagem apresenta-se como uma alternativa para a valorização de resíduos sólidos orgânicos urbanos, minimizando a necessidade de aterros sanitários, facilitando a reciclagem dos outros resíduos urbanos recicláveis, fomentando o desenvolvimento de novos empreendimentos e formação de empregos. Todo o produto produzido nas usinas de compostagem pode ser destinado para a agricultura Intensiva e/ou orgânica em todo o território nacional, com ganhos positivos para o solo e a produção.

Para garantir a sustentabilidade e sucesso dos empreendimentos de novas usinas de compostagem é necessário criar um marco legal regulatório para o setor e criar instrumentos de incentivo e estimulo para o investimento na área pelo setor público e privado, brindar segurança jurídica para o setor e garantir a inclusão social.

Marcos Alejandro Badra

Hotel de luxo no Texas quer implantar sistema de compostagem

A gestão sustentável dos resíduos e o luxo são perfeitamente compatíveis. Requer criatividade, inovação e persistência para conseguir os resultados de conforto e elegância minimizando o impacto ambiental de nossas atividade.

O Portal EcoD  publicou uma noticia sobre um projeto implantado de um hotel de luxo localizado em Austin, no Texas (Estados Unidos), que pretende uma processo de coleta de material orgânico para compostagem. A ideia do estabelecimento é incentivar os hóspedes a reciclar restos de comida e outros resíduos orgânicos.

O Four Seasons vai contar com a parceria da empresa de processamento de resíduos Texas Disposal Systems para fornecer a opção de recipientes separados de compostagem e reciclagem nos quartos. “O programa proporciona aos hóspedes um papel ativo no projeto de sustentabilidade do hotel, que visa desviar 90% dos seus resíduos do aterro sanitário”, explicou o TDS em um comunicado a imprensa.

A empresa pretende produzir adubo de alta qualidade com o resto de alimentos do hotel, que será vendido com a sua marca Garden Ville. O composto irá também ser utilizado para fertilizar as plantas do próprio estabelecimento.

A indústria da hotelaria, nos últimos anos, tem tomado medidas para ser mais sustentável, incluindo a adoção de medidas como economia de água. Segundo o Earth911, o Four Seasons Hotel, em Austin, é o primeiro grande hotel da marca, nos Estado Unidos, a oferecer sala de compostagem.

Fonte: Portal EcoD

http://www.marcosbadra.com

 

Compostagem de Resíduos Sólidos Orgânicos no Brasil

A compostagem é uma alternativa de valorização de resíduos com técnicas ancestrais ainda presente hoje nas usinas modernas. Ela, imita os processos complexos de reciclagem da matéria dos ecossistemas naturais, porem em condições controladas para poder acelerar os resultados e atender as necessidades dos seres humanos.

Mediante um processo otimizado e customizado às necessidades de cada gerados (seja de resíduos sólidos industrias ou urbanos) a compostagem transforma todos os resíduos orgânicos em adubo apto para o uso na agricultura, e atender a demanda de fertilizantes do Brasil, com uma importação de mais do 60% dos nutrientes requeridos nas culturas de todo o pais. Este adubo, alem de oferecer NPK, oferece outros nutrientes de grande valor para as plantas e microrganismos necessários para a estrutura do solo e sua fertilidade ao longo do tempo, dando sustentabilidade a atividade agrícola-florestal.

A área demandada pelas unidades de compostagem variam conforme o tipo de resíduos e o processo a ser implantado, porem em media para 10.000 ton/mês de resíduo são necessários entre 15.000 m³ a 20.000 m³. Exitem atualmente diversas tecnologias de compostagem, que otimizam tempo de processo, eliminam a geração de passivos, aumentam a qualidade do produto final e minimizam os custos de investimento inicial.

A compostagem como alternativa de valorização de resíduos orgânicos está mencionada na Política Nacional de Resíduos Sólidos (Lei 12.305/2010)  assim como no Plano de Gestão de Resíduos Sólidos do Ministério de Médio Ambiente do Brasil (atualmente em consulta pública), entre outros documentos e legislações de diferentes setores do governo, no médio acadêmico e do terceiro setor.

A modo de resumo apresento o Infograma de Compostagem de Resíduos Sólidos Orgânicos, para ilustração do possível cenário a ser desenvolvido no Brasil para valorização de mais de 80% dos RSU gerados por todos nós.

Faça click na imagem para amplia-la.

Infograma compostagem resíduos gerais PNRS web

Marcos Alejandro Badra

%d blogueiros gostam disto: